Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Destoxificação, Saúde em Geral

Destoxificação como aliada no tratamento para esteatose hepática

O tratamento para esteatose hepática, em casos menos severos, envolve a prática de exercícios, além da manutenção de um estilo de vida e alimentação saudáveis.

Quando o quadro evolui, porém, são necessários medicamentos e, em situações mais graves, até o transplante de fígado.

Seja para evitar que a saúde hepática seja comprometida, ou mesmo para prevenir o surgimento de novos problemas quando ela já está afetada, os programas de destoxificação são amplamente recomendados por especialistas.

Por isso, neste conteúdo você vai conferir o que caracteriza a doença e entender porque é tão importante manter-se livre do excesso de gordura no fígado. Além disso, vai saber mais sobre a destoxificação, um importante recurso no tratamento para esteatose hepática. Boa leitura!

O que é esteatose hepática?

Conhecida simplesmente como “gordura no fígado”, a esteatose hepática é uma condição em que as células do órgão sofrem com a infiltração excessiva de células de gordura.

Suas principais causas envolvem:

  • Sobrepeso;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Má alimentação;
  • Pressão alta;
  • Ganho ou perda repentina de peso;
  • Inflamações crônicas no fígado;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Gravidez.

O uso de certas categorias de medicamentos também pode desencadear o problema, como é o caso dos antirretrovirais, corticoides, amiodarona, tamoxifeno e diltiazem.

Quais são seus sintomas?

Em quadros leves, a esteatose não apresenta sintomas bem definidos. Em seu estágio moderado, é caracterizada por cansaço, perda de apetite, dores abdominais, fraqueza, dores constantes de cabeça e inchaço na barriga.

Já casos mais avançados, podem ocorrer:

  1. Hemorragias;
  2. Confusão mental;
  3. Acúmulo anormal de líquidos na região abdominal;
  4. Alterações no sono;
  5. Icterícia;
  6. Problemas de coagulação;
  7. Queda no número de plaquetas.

No próximo item, entenda o que torna importante a manutenção da saúde do fígado, assim como o tratamento para esteatose hepática!

Por que é importante cuidar da saúde do fígado?

A presença de gordura no fígado é normal no organismo humano, desde que seja inferior a 5%. Caso esse índice seja ultrapassado, é preciso tratar o quadro imediatamente.

Caso o tratamento para esteatose hepática não seja feito da maneira adequada, uma inflamação pode desenvolver-se e evoluir para situações mais graves, como cirrose hepática, hepatite gordurosa e câncer no fígado.

Nestes casos, além de aumentar de tamanho, o fígado também torna-se amarelado. Nessas condições, até transplantes podem ser recomendados para salvar a vida do paciente.

Potencialmente fatal, a esteatose hepática deve ser tratada com seriedade e exige mudanças no estilo de vida dos indivíduos.

Qual a importância da destoxificação no tratamento para esteatose hepática?

Desenvolvidos de acordo com as necessidades nutricionais de cada paciente, os programas de destoxificação visam eliminar as toxinas que provocam o acúmulo de gordura no fígado e as condições que provocam o desequilíbrio do organismo.

Por meio desse tipo de suplementação, é possível obter uma limpeza profunda dos órgãos, especialmente do fígado.

Além de melhorar a imunidade do paciente e evitar o surgimento de incontáveis doenças, a destoxificação proporciona bem-estar, vigor físico e mental, energia e qualidade de vida já no início do tratamento.

Entre outros benefícios obtidos através desse método estão:

  • Limpeza do sistema digestório;
  • Melhoria das funções intestinais;
  • Redução da acidez dos líquidos corporais;
  • Combate da diabetes;
  • Emagrecimento;
  • Diminuição de dores.

Se você ficou interessado no tratamento para esteatose hepática através da destoxificação, não abra mão de quem é especialista no assunto! O Dr. Ozônio é referência na área e já beneficiou mais 6.500 pacientes com esse método.

Entre em contato conosco e não deixe de acompanhar as novidades do blog Saúde com Ozônio!

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *