A doença capaz de reduzir tempo e qualidade de vida de uma pessoa tem afetado cada vez mais pessoas ao redor do mundo. Contudo, quando o assunto é a prevenção da diabetes, a dieta vegetariana pode ser sua importante aliada.

Isso porque alguns estudos têm evidenciado a relação da carne vermelha e processados com uma incidência maior de desenvolver diabetes do tipo 2

Além disso, uma dieta vegetariana possui diversos benefícios além da prevenção dessas doenças. Quer saber mais? Acompanhe a leitura deste artigo.

Dieta vegetariana como controle da diabetes

A diabetes tipo 2 é a mais comum entre as pessoas, e diferente do tipo 1, é a que aparece geralmente devido aos maus hábitos alimentares, também associados à obesidade e doenças cardiovasculares.

A doença é uma resposta do organismo ao excesso de açúcar no sangue que está diretamente relacionado à produção de insulina, hormônio secretado no pâncreas e que controla a glicose no organismo.

Com essa produção prejudicada, inexistente ou envolta de resistência na absorção das células, uma série de órgãos e funções do organismo podem ser afetadas. É aí que entra o papel da dieta vegetariana no controle da doença.

Como o que acontece na diabetes é um desnível de nutrientes, uma dieta balanceada e sem excessos de gorduras e calorias como a vegetariana é uma ótima maneira de prevenção.

Além do equilíbrio de substâncias, uma alimentação rica em frutas, fibras e vegetais diminui os riscos de desenvolver doenças cardiovasculares, que é uma das principais causas de morte em pacientes diabéticos.

Outro ponto é que estudos têm demonstrado a eficácia da dieta vegetariana também para reduzir o uso de insulina e medicamentos orais, além de melhorar a saúde dos rins.

Portanto, uma alimentação natural rica em frutas, vegetais, cereais integrais, castanhas e leguminosas, por exemplo, é capaz de atuar no controle da diabetes de maneira muito eficiente.

Vegetarianismo no Brasil

No decorrer do tempo, o número de pessoas que aderiram ao vegetarianismo tem crescido de maneira considerável. Só no Brasil, em seis anos o número quase dobrou, sendo 14% de vegetarianos no país.

Esse dado também têm apontado uma redução no consumo de carne e proteína animal, alimentos que no Brasil são uma realidade bem conhecida no almoço dos brasileiros.

Em conjunto com a mudança nos hábitos alimentares, uma dieta vegetariana é capaz de auxiliar na redução dos níveis de açúcar no sangue, consequentemente auxiliando na prevenção da diabetes.

Além disso, diversos estudos têm demonstrado que mais que uma reeducação alimentar, uma alimentação vegetariana contribui para a prevenção da diabetes tipo 2 e outras doenças como o câncer.

Por fim, no Brasil e ao redor do mundo o vegetarianismo e veganismo têm sido escolhas mais éticas em vista das condições dos animais, do ambiente e das preocupações com a própria qualidade de vida

Benefícios de uma dieta vegetariana

Uma alimentação saudável e balanceada possui diversos benefícios, mas uma dieta vegetariana tem mostrado níveis menores de massa corporal e colesterol em comparação a dietas com carne, onde o teor de gordura saturada pode ser preocupante.

No caso da diabetes, uma alimentação baseada no consumo de produtos vegetais demonstra benefícios além da redução dos riscos de doenças cardiovasculares e obesidade.

Como um dos principais focos da doença é o pâncreas, que é quem produz a insulina, com uma dieta vegetariana é possível perceber melhora na ação do órgão.

Além disso, a reeducação alimentar com o vegetarianismo e a presença de fontes de fibra ajudam a digestão ser mais lenta, favorecendo o controle dos níveis de açúcar.

Não se esqueça dos riscos

Um ponto muito importante a se considerar é que as restrições alimentares de uma dieta vegetariana pode favorecer o risco de anemia e deficiência de algumas substâncias essenciais.

A falta de quantidades corretas de cálcio, minerais e vitaminas, assim como o consumo exagerado de alimentos industrializados e processados podem agravar o desenvolvimento da diabetes.

Por isso, é imprescindível contar com a orientação de um profissional nutricionista para identificar a melhor combinação de nutrientes para o seu organismo e a prevenção da diabetes.

O que o consumo de carne tem a ver com a diabetes?

Falamos um pouco sobre a carne vermelha, mas a relação dela com a diabetes pode ser melhor entendida por um estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, que aponta que existe uma chance em cada três de desenvolver diabetes do tipo 2 para quem consome carne vermelha.

Mesmo que o consumo de carne vermelha seja comum, o excesso deste alimento pode trazer inúmeros danos à saúde.

Outro estudo, este feito pela Harvard School of Public Health, revelou que uma porção diária de 100 gramas de carne vermelha não processada foi capaz de aumentar o risco de diabetes tipo 2 em 19%.

Em contrapartida, essa associação entre o consumo de carne e risco de desenvolver essa doença apontou também que ao substituir uma porção de carne vermelha por cereais integrais ou outras opções mais saudáveis reduziu de 16% a 35% o risco de diabetes.

Os pesquisadores, no entanto, não chegaram a uma certeza sobre o motivo da carne vermelha contribuir para o risco de diabetes, mas um indicativo pode ser a grande quantidade de ferro.

Outros estudos

Um outro estudo, publicado na JAMA Internal Medicine, mostra que a associação entre o consumo de carne vermelha e a diabetes também traz dados interessantes.

O estudo foi feito em anos e grupos diferentes, que detalharam por meio de um questionário o seu estilo de vida, histórico médico e hábitos alimentares.

Entre os 3 grupos participantes, o período de quatro anos com o aumento do consumo de carne vermelha apresentou um risco elevado de diabetes do tipo 2 nos quatro anos seguintes, comparado a um grupo sem alteração no consumo.

Esse risco chegou a 48%, mas a redução do consumo deste tipo de alimento apresentou riscos menores, o que evidencia a dieta vegetariana como aliada na prevenção da diabetes.

O que o tratamento ortomolecular tem a ver com isso?

O nosso organismo precisa de uma diversidade de nutrientes, assim como desempenha uma série de atividades essenciais para o funcionamento do corpo.

O nosso organismo precisa de uma diversidade de nutrientes, assim como desempenha uma série de atividades essenciais para o funcionamento do corpo.

Por isso, manter uma alimentação equilibrada é essencial para fortalecer o sistema imunológico, prevenir doenças, controlar o excesso de gordura e inúmeros outros benefícios.

É exatamente nesse contexto que o tratamento ortomolecular está relacionado à prevenção da diabetes, pois esta medicina é um tipo de terapêutica complementar que visa o equilíbrio do organismo por meio da nutrição.

Maus hábitos alimentares, condições ambientais ruins e altos níveis de estresse contribuem para os chamados radicais livres, que atacam as células saudáveis no processo de queima de oxigênio, além de causarem inflamações e doenças comuns do envelhecimento.

Por isso, o tratamento ortomolecular busca o equilíbrio dos nutrientes essenciais no organismo, utilizando-se de alimentos antioxidantes, suplementos nutricionais e eliminando essas substâncias tóxicas.

No caso da prevenção da diabetes, além da produção de insulina prejudicada, é preciso garantir o bom funcionamento do pâncreas, que é beneficiado com uma alimentação balanceada.

Emagrecimento

Outro ponto é que o tratamento ortomolecular auxilia no controle do peso e nos desníveis de nutrientes como a glicose, estabelecendo uma dieta personalizada e com foco na eliminação das inflamações causadas pelos radicais livres.

Isso porque a dieta evita que as células atacadas inchem e parem de funcionar de maneira normal, o que acaba por acumular líquidos pelo corpo.

Por isso, uma alimentação vegetariana e o tratamento ortomolecular estão relacionados quando o assunto é a prevenção da diabetes, pois ajudam a desintoxicar o organismo e manter as funções vitais funcionando bem.

Alimentos e suplementação

Para proporcionar uma boa prevenção da diabetes, a nutrição ortomolecular estabelece alguns hábitos e alimentos que devem ser evitados ou incluídos na dieta.

Diante disso, os alimentos a serem evitados são aqueles muito condimentados, processados, industrializados e gordurosos, incluindo a carne vermelha que já mencionamos. Nesta lista estão também o álcool e o refrigerante.

Contudo, consumir alimentos naturais como frutas, verduras e legumes, fontes de fibra e ácidos graxos promovem inúmeras reações benéficas no organismo que ajudam na prevenção da diabetes.

Além disso, o consumo de água é de extrema importância, assim como aliar a alimentação saudável aos exercícios físicos regulares para manter a saúde física e emocional.

Outro ponto é que o tratamento ortomolecular utiliza alguns suplementos nutricionais, principalmente os que possuem propriedades antioxidantes, importantes no processo de eliminação dos radicais livres.

É muito comum a utilização de vitaminas como a C e E, assim como ácidos graxos como o ômega 3 e outras substâncias como a quercetina e L-carnitina.

Dieta vegetariana e medicina ortomolecular na prevenção da diabetes

Como você pode ver, as duas abordagens caminham juntas em harmonia quando o assunto é a prevenção da diabetes e o equilíbrio nutricional do corpo.

Isso porque ambas possuem objetivos em comum, principalmente quanto ao nível e quantidade dos nutrientes que necessitamos, já que os excessos ou carências podem afetar diretamente as funções vitais do organismo.

Por isso, mais do que reduzir o consumo de carne vermelha, buscar uma dieta vegetariana aliada ao tratamento ortomolecular pode potencializar os cuidados com a prevenção da diabetes.

Assim, é possível evitar que a doença se desenvolva e traga mais riscos à saúde, ao mesmo tempo em que o sistema imunológico é fortalecido.

Gostou do conteúdo? Continue acompanhando as atualizações do blog da Saúde com Ozônio e visite o site Detox Dr. Ozônio3 para mais assuntos interessantes como este.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *