Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
covid-19, Ozônio, Ozônioterapia

Uma arma poderosa para combater o surto de COVID-19

Por mais de 100 anos, o ozônio, considerado um matador de vírus na natureza, tem sido amplamente utilizado por pessoas para desinfecção, esterilização, desodorização, desintoxicação, armazenamento e branqueamento, graças à sua forte oxidabilidade. E por isso, o ozônio deve ser adotado como arma na luta global contra o COVID-19. Possui três atributos a seguir.

Cobertura total O ozônio criado por geradores de ozônio ou purificadores de ar eletrostáticos pode atingir todos os cantos do ambiente, o que pode superar o problema de que a esterilização ultravioleta só pode subir e descer, deixando alguns lugares não esterilizados.

Alta detergência Bactérias e vírus oxidantes é como o ozônio funciona, sem resíduos venenosos. Pelo contrário, o desinfetante químico que usamos agora não é apenas prejudicial ao corpo humano, mas também causará uma população secundária de resíduos venenosos. Durante a atual epidemia, o uso excessivo da desinfecção da água tem sido um problema sério ao qual devemos prestar atenção.

Conveniência O ozônio pode ser produzido por equipamentos simples. O equipamento, grande ou pequeno, pode ser usado para uma única sala, um grande espaço público ou modos de transporte público, como ônibus, ferrovias de alta velocidade, navios e aviões.

A eficácia do ozônio no tratamento de bactérias e vírus não está relacionada apenas à sua concentração, temperaturas, umidade e tempo de exposição, mas também às estirpes de bactérias.

De acordo com os resultados do experimento sobre como o ozônio mata o vírus da SARS-1, conduzido pelo laboratório nacional P3, liderado pelo professor Li Zelin, o ozônio é eficaz para matar o vírus da SARS-1 inoculado nas células renais de macacos verdes, atingindo uma taxa de morte de 99,22%. O vírus encontrado nos vírus Wuhan e SARS-1 pertence ao coronavírus. Os pesquisadores descobriram que o novo coronavírus é 80% semelhante ao vírus da SARS-1 em suas sequências genômicas. É razoável prever que o ozônio seja igualmente eficaz na prevenção e controle do novo coronavírus.

O ozônio, embora altamente eficaz para a esterilização e desinfecção, causará desconforto ou irritará as membranas mucosas quando atingir um certo nível de concentração. Portanto, é usado principalmente em ambientes não tripulados.

Se o ozônio puder ser usado em um ambiente humano para matar o novo coronavírus e o ar limpo, será uma bênção usá-lo em hospitais, fábricas, espaços públicos, transportes públicos fechados e residências internas lotadas. Se o ozônio pode entrar em vigor fortemente depende de nossa capacidade de controlar seus níveis de concentração. O gás volátil é fácil de produzir, mas difícil de ser controlado em um determinado nível, devido ao custo dos sensores de ozônio. Sem o teste em tempo real dos sensores, está fora de questão controlar sua concentração.

Se o ozônio puder ser controlado sob um nível seguro por medidas baratas e eficazes, o ozônio poderá ser mais facilmente usado pelas pessoas, o que levará ao seu uso no ambiente humano. Portanto, como reduzir drasticamente ousto dos sensores de ozônio é o desafio a ser enfrentado no momento. Em meio à epidemia, sugere-se que possamos razoavelmente elevar os padrões dos níveis de ozônio em ambientes fechados e tentar usar o ozônio para desinfecção e esterilização no ambiente humano. Felizmente, Zhang Yue doou purificadores geradores de ozônio para o Hospital Huoshenshan e hospitais cúbicos, esperando que este equipamento possa desempenhar um papel na proteção da vida dos médicos e na salvação de pacientes infectados.

A relação entre ozônio e microorganismo demonstra o equilíbrio requintado dos corpos vivos na Terra. Por um lado, sem a proteção da camada de ozônio, bactérias e vírus não podem ser encontrados na Terra e, por outro lado, o ozônio com forte oxidabilidade matará bactérias e vírus. O conhecimento das pessoas sobre o ozônio ainda está longe de ser suficiente. Devemos abandonar o preconceito do ozônio, a vigilância excessiva do ozônio, tentar resolver o enigma do ozônio e explorar completamente as características do ozônio para uso humano. Devemos garantir a ajuda do ozônio no momento da nova epidemia de coronavírus. Devemos trabalhar juntos para fazer bom uso do ozônio para derrotar a epidemia.

Zhou Muzhi é professor da Universidade Keizai de Tóquio e presidente do Instituto de Pesquisa Urbana Cloud River.
Os artigos de opinião refletem as opiniões de seus autores, não necessariamente as de China.org.cn.

Previous ArticleNext Article

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *