Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Ozônio, Ozônioterapia, Saúde em Geral

Como tratar mal de parkinson fazendo uso da ozonioterapia

Descobrir como tratar mal de Parkinson da maneira mais eficiente possível é uma questão de extrema relevância para qualquer brasileiro. Afinal, é esperado que mais de 600 mil pessoas sofram com o problema nos próximos 10 anos no Brasil.

Com efeito reconhecido internacionalmente contra mais de 200 patologias diferentes, a ozonioterapia também conta com resultados promissores na área, trazendo novas esperanças para pacientes e familiares atingidos pelas consequências da doença.

A seguir, entenda como a patologia se caracteriza, quais seus principais sintomas e causas e como tratar mal de Parkinson através do Ozônio Medicinal.

Boa leitura!

O que é mal de Parkinson?

O mal de Parkinson é um distúrbio neurológico que atinge milhares de pessoas. Sua principal consequência é o comprometimento dos movimentos.

Sua manifestação é progressiva, ou seja, piora com o passar do tempo, e degenerativa, que compromete o funcionamento normal do organismo.

Apesar de ser muito mais recorrente em indivíduos com mais de 60 anos de idade, é crescente o número de jovens que sofre com o problema.

Grande parte dos sintomas do Parkinson afeta a capacidade motora, atingindo o controle sobre os músculos e do próprio movimento.

O avanço da doença faz com que ela comprometa cada vez mais o cotidiano do paciente, dificultando ou impossibilitando atividades corriqueiras, como se vestir, alimentar-se ou tomar banho.

Quais os seus principais sintomas e causas?

Entre os sintomas mais comuns do mal de Parkinson, destacam-se:

  • Rigidez muscular, que começa na maioria das vezes nas pernas e pescoço e ainda pode ser acompanhada de dores;
  • Lentidão ou ausência de movimentos, que piora com a progressão da doença;
  • Tremores, que começam ocasionalmente e se espalham com o passar do tempo em apenas um lado ou no corpo inteiro;
  • Deficiência de coordenação e equilíbrio.

Esses problemas ocorrem porque a doença de Parkinson é caracterizada pela degeneração de uma parte do cérebro conhecida como substância nigra. Quando seus neurônios morrem, ela priva o cérebro de dopamina.

É a dopamina que faz com que as células cerebrais responsáveis pelo movimento se comuniquem. Sua diminuição, portanto, é decisiva para o comprometimento das funções motoras.

Estima-se que cerca de 60% a 80% da produção de dopamina seja perdida antes mesmo que os sintomas motores do Parkison sejam percebidos!

Os fatores que levam à degeneração acelerada da substância nigra ainda são desconhecidos, mas sabe-se que o envelhecimento contribui para a diminuição da dopamina e representa um dos maiores fatores de risco para a doença.

Como tratar mal de Parkinson com ozonioterapia?

Como mencionamos anteriormente, a ozonioterapia já é uma técnica amplamente reconhecida ao redor do mundo. Seus meios de aplicação, assim como os benefícios, são diversos e variam de acordo com as necessidades de cada paciente e objetivos do tratamento.

Para o tratamento de Parkinson, o Ozônio Medicinal ativa a microcirculação do cérebro, regenerando seus tecidos e aumentando a atividade dos neurônios.

Além disso, sua ação antiespasmódica e anti-inflamatória previne não só a ocorrência de novos espasmos, como também combate as suas consequências.

Como se não bastasse, a Ozonioterapia ainda é capaz de prolongar o efeito de medicamentos normalmente utilizados no tratamento da doença, como Levodopa, Bromocriptina e Selegilina.

Para se ter uma ideia da eficiência do ozônio, em um estudo recente, 90 pacientes foram tratados com ozônio medicinal via insuflação retal. Foram 20 sessões acompanhadas de fisioterapia com resultados surpreendentes!

Todos os sintomas e sinais registrados melhoraram após o tratamento. A rigidez e os tremores foram amenizados em 93% dos casos, a marcha melhorou em 86% deles. Já a bradifasia diminuiu em 83% dos indivíduos.

No final, constatou-se que 79% dos pacientes tratados tiveram as suas atividades diárias significativamente melhoradas, sem que fossem registrados efeitos adversos ou intolerância!

E você, já sabia como tratar mal de Parkinson através da ozonioterapia? Quer saber mais sobre o tratamento com quem é referência nacional na área? Então entre em contato agora mesmo com a Clínica Dr. Ozônio. Não deixe de acompanhar também as novidades do blog para ficar por dentro de todos os avanços na área.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *