Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Saúde em Geral, Studies

O Prêmio Nobel de Medicina 2019 vai para reação de células a oxigênio

Os vencedores do Prêmio Nobel 2019 de Medicina foram os americanos William Kaelin e Gregg Semenza e o britânico Sir Peter Ratcliffe, graças às suas descobertas sobre como células detectam e se adaptam à disponibilidade de oxigênio.

Um dos grandes avanços proporcionados à área da saúde, diz respeito à Ozonioterapia, já que os mecanismos de ação do Ozônio Medicinal são diretamente ligados à resposta hipóxica das células.

A seguir, entenda melhor os detalhes da descoberta que lhes garantiu o prêmio e descubra qual a relação dos tratamentos com ozônio na área!

Qual a influência da descoberta que rendeu o Nobel de Medicina 2019 para a área da saúde?

Em poucas palavras, as descobertas de William Kaelin, Sir Peter Ratcliffe e Gregg Semenza permitiram que o conhecimento sobre como as respostas fisiológicas do organismo tornam a vida possível fosse ampliado.

As células devem ser aptas a perceber qual é a quantidade de oxigênio disponível no organismo para que possam adaptar o seu metabolismo.

Por exemplo, quando alguém vai até um lugar com altitude muito alta ou sofre algum ferimento, a quantidade de oxigênio diminui, fazendo com que as células ativem um processo chamado de resposta hipóxica.

Já era de conhecimento geral que as células são sensíveis aos níveis disponíveis de oxigênio, mas agora esse processo é entendido em nível molecular. A queda dos níveis de oxigênio provoca um aumento na produção de células vermelhas que, em maior quantidade, permitem que o corpo absorva melhor esse gás essencial à vida.

O que se sabe com mais clareza agora é que o próprio oxigênio controla esse processo.

  • Quando seus níveis são altos no ambiente, o corpo demanda menos células vermelhas, destruindo-as rapidamente;
  • Quando o oxigênio é menor, o organismo para de destruir essas células, mantendo-as em maior concentração.

Ao compreender como as proteínas se alteram em um ambiente de hipóxia, é possível intervir em certos processos que ocorrem no corpo, favorecendo o tratamento de doenças.

Os resultados desses estudos já estão sendo aplicados em novos tratamentos para condições como a anemia e até câncer – mas suas possibilidades podem ir muito além!

Como a Ozonioterapia é impactada por esses novos conhecimentos?

A conquista do Nobel de Medicina de 2019 tem muito significado para a área da Ozonioterapia, uma vez que toda a técnica de tratamento se baseia na influência que os níveis de oxigênio tem no organismo.

Considerado um dos oxidantes mais potentes que existem, o Ozônio Medicinal é aplicado em níveis seguros para estimular a resposta imunológica dos sistemas de defesa do corpo, o que também influencia no aumento dos níveis de células vermelhas.

Por meio dessa ação, o fornecimento de oxigênio aos tecidos é favorecido e toda a regeneração celular é estimulada, o que provoca uma série de efeitos benéficos aos pacientes.

Mesmo que a Ozonioterapia seja uma técnica centenária, com ação corroborada por incontáveis pesquisas na área da saúde, essas conclusões contribuem para que ela ganhe ainda mais credibilidade e possa ser difundida para mais pessoas.

Em nome da equipe da Clínica Dr. Ozônio, parabenizamos William Kaelin, Sir Peter Ratcliffe e Gregg Semenza pelo importante estudo e, principalmente, pela conquista do Nobel de Medicina!

Se você também deseja obter os benefícios da Ozonioterapia em prol da sua saúde, entre em contato com a nossa equipe e obtenha o padrão de tratamento que é referência nacional na área!

Não deixe de acompanhar também as novidades do blog Saúde com Ozônio para ficar por dentro de todos os avanços do Ozônio Medicinal.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *