Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Destoxificação

Você sabia? Nós somos os únicos seres que tomamos leite na fase adulta, quais os riscos disso?

O leite é comum entre todos os mamíferos em seus primeiros dias de vida e desempenha um papel fundamental para o desenvolvimento de qualquer ser vivo. Porém, apenas nós, seres humanos, tomamos leite na fase adulta.

Você sabe quais os riscos desse hábito exclusivo e como a destoxificação pode reduzi-los?

A seguir, vamos desmistificar os mitos que rondam o consumo do leite na vida adulta, falar mais sobre os principais riscos para quem toma e como a destoxificação age contra as suas consequências. Boa leitura!

Por que ainda tomamos leite na fase adulta e o que torna esse hábito dispensável?

O consumo do leite de vacas é um hábito antigo e muito difundido entre a nossa cultura, mas não é apenas a preferência pelo o seu sabor que nos faz tomar essa bebida tão comum.

Ao longo dos anos, movidos em grande parte pela pressão da indústria, muitos mitos sobre o leite foram construídos, o apontando como um item indispensável em nossas dietas.

Algumas ideias sobre os seus benefícios ainda são muito difundidas, até mesmo no meio médico, incluindo noções de que o leite é fundamental para:

  • Manutenção do cálcio nos ossos;
  • Prevenção da osteoporose;
  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Como um todo, para a nossa sobrevivência.
  • O fato, porém, é que nenhuma dessas afirmações são verdadeiras! O cálcio do leite proveniente das vacas, inclusive, não é muito bem absorvido pelo corpo humano.

    Em poucas palavras, é perfeitamente possível – e até indicado – viver sem consumir leite e seus derivados, obtendo os nutrientes necessários para a saúde do organismo a partir de outros alimentos.

    Quais os riscos desse consumo ao longo da vida?

    Por mais que essa seja uma prática maciçamente desaconselhada por médicos e órgãos de saúde, muitas famílias com problemas de amamentação e carência de informação ainda recorrem ao leite de vaca para a alimentação de bebês ou insere o alimento na dieta da criança de maneira muito precoce.

    Para se ter uma noção do quão possível isso pode ser, o consumo de leite de vaca é diretamente relacionado a mortes súbitas ainda no berço!

    Em crianças, a bebida ainda estimula a obesidade de maneira mais intensa, o que não impede que isso também ocorra na fase adulta.

    O consumo de leite também está relacionado ao aumento dos riscos de câncer de próstata, mama ou ovário, ao estímulo do diabetes e até a doenças cardiovasculares, que ocorrem por conta do cálcio excedente no corpo.

    Qual o papel da destoxificação contra esse problema?

    O o leite que consumimos industrializado pode ser contaminado, seja por agentes infecciosos do ambiente, por doenças presentes no animal ou até pela liberação de pequenas quantidades de pus durante a ordenha.

    Toda essa contaminação vai direto para o nosso organismo, provocando uma série de consequências que afetam diretamente a qualidade de vida ao longo do tempo. Elas também podem desencadear as doenças mencionadas anteriormente.

    Por meio da destoxificação, é possível eliminar naturalmente essas toxinas que comprometem a nossa saúde. Isso garante:

  • Melhoria das funções corporais e da imunidade;
  • Aumento do vigor físico e mental;
  • Menor acidez dos líquidos corpóreos;
  • Redução de peso e até;
  • Dores articulares.
  • Isso ocorre graças à limpeza completa do fígado, da vesícula biliar, do intestino e do sistema digestório, que têm seus processos metabólicos restabelecidos e livres de agentes que comprometem o seu bom funcionamento.

    Quer saber como obter todos os benefícios da destoxificação? Você já sabia que somos os únicos que tomamos leite na fase adulta e quais os riscos disso? Quer receber ainda mais novidades imperdíveis como essa? Então acompanhe o nosso site: detox.drozonio3.com.br.

    Previous ArticleNext Article

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *