Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Câncer, Ozônioterapia

Entenda mais sobre câncer de próstata na série as 20 mais

O blog Saúde com Ozônio segue com a série “As 20 Mais”, que começou falando do derrame tem foco nas enfermidades líderes em mortalidade da população brasileira. É o caso do câncer de próstata, um dos que mais acometem os homens e o vice-líder em se tratando das mortes decorrentes por câncer, dentre a população masculina do país.

Uma previsão do Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que, em 2019, podem surgir 68.220 novos casos no Brasil. Também há análises indicativas de que 1 em cada 9 brasileiros receberá esse diagnóstico durante a vida, com um 1 a cada 41 dos nossos homens sendo vitimados pela doença.

O câncer de próstata precisa ser detectado precocemente

A próstata é uma glândula presente apenas no organismo masculino, cuja ocorrência de tumores é comum em idades mais avançadas. De acordo com o INCA, 75% dos casos são registrados a partir dos 65 anos. Predisposição genética, sobrepeso, sedentarismo e dieta rica em gorduras são alguns dos fatores de risco.

Em geral, o câncer de próstata tem uma evolução lenta. Por isso, a detecção precoce é o melhor caminho para o tratamento eficiente. Um processo em que o Brasil precisa melhorar bastante, já que nossas estatísticas dão conta de que, entre 30% e 35% dos diagnósticos do país ocorrem quando a doença está nos estágios mais avançados. Uma diferença e tanto para os Estados Unidos, por exemplo, onde essa taxa se restringe a 5%.

Mudar essa realidade é algo que depende de conscientização e conduta preventiva, já que há muito preconceito em torno do exame de toque retal. O método, associado à verificação sanguínea do PSA, um indicador que monitora possíveis tumores na próstata, é o que permite o diagnóstico nos estágios iniciais. No entanto, como sinaliza um levantamento do IBGE, de 2017, apenas 25% dos homens brasileiros com mais de 50 anos já tinham se submetido ao toque.

O tratamento e o uso do ozônio

Quando o câncer de próstata está localizado exclusivamente no órgão e, em estágios primários, isso aumenta a possibilidade de cura. A análise médica das características de cada caso e paciente é fundamental para definir o tratamento, que tem nas técnicas complementares, como a ozonioterapia, importantes ferramentas para a melhor qualidade de vida dos pacientes.

Pesquisas recentes vêm mostrando que o ozônio medicinal em pacientes com câncer têm demonstrado alta eficiência no combate aos tumores. Uma das principais razões para o sucesso da ozonioterapia é o aumento da quantidade de oxigênio na área afetada pelo tumor, que incrementa a capacidade do organismo de reagir à doença.

No caso do câncer de próstata, são usados tanto a chamada insuflação quanto a injeção de sangue do próprio paciente, enriquecido com ozônio. Quer mais uma boa notícia? A Clínica Dr. Ozônio é certificada para aplicar a ozonioterapia como técnica complementar de tratamento do câncer de próstata.

Entre em contato conosco pelo telefone (11) 4858-8000, ou via WhatsApp, no (11) 95726-6578 e informe-se. Acompanhando o blog Saúde com Ozônio, você também fica ligado em dicas fundamentais para a sua saúde.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *