Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Câncer, Ozônioterapia

Na série “as 20 mais”, o tema é câncer de mama

Em mais um dos conteúdos da série especial do blog Saúde com Ozônio sobre as 20 doenças mais letais do Brasil, é hora de falar sobre o câncer de mama. Dados do Instituto Nacional do Câncer, ligado ao Ministério da Saúde, o situam como uma das doenças de maior incidência entre as mulheres no país.

Além disso, no recorte do período de 2011 a 2015, como sinaliza o INCA, o câncer de mama liderou os óbitos de mulheres brasileiras, com uma participação de 15,7% no número total de mortes.

Em 2018, o órgão oficial estima a ocorrência de 59.700 novos casos. Vamos, então conhecer um pouco mais sobre o câncer de mama e o uso do ozônio medicinal como tratamento complementar?

Entenda o câncer de mama

Em uma abordagem técnica, o câncer de mama pode ser definido como o processo de surgimento de um tumor maligno, pelo crescimento desordenado das células.

Os fatores de risco para o desenvolvimento da doença, apontados também pelo Instituto Nacional de Câncer são, além da idade – pois a incidência costuma ser maior após os 40 anos – são fatores genéticos, sedentarismo, excesso de peso e até mesmo o consumo abusivo de álcool.

O caminho para o diagnóstico começa, em geral, com um exame clínico que levanta suspeita e deve, necessariamente, ser acompanhado de exames complementares. As investigações fundamentais são realizadas a partir de exames de imagem, principalmente mamografia, ressonância e ultrassom.

Depois da detecção efetiva do nódulo, o mastologista, que é o médico especializado no tratamento de doenças de mama, solicita a biópsia, para a confirmação da malignidade.

E como se dá o tratamento do câncer de mama?

Constatado o câncer de mama, o tratamento começa com novos exames que visam determinar o estágio da doença, bem como entender as características do tumor e as condições da paciente.

Todo esse contexto é determinante para as decisões posteriores, em que entrarão em cena as abordagens clínica – com opções que incluem a quimioterapia e a hormonioterapia – e de tratamento local, com cirurgia e radioterapia.

Os tratamentos atuais, felizmente, disponibilizam às pacientes avançadas técnicas que, além de aumentar as chances de cura, viabilizam, de acordo com as especificidades de cada caso, ações mais conservadoras. É a possibilidade de realizar cirurgias menos mutilantes, que tem importante papel na preservação da autoestima das mulheres diagnosticadas.

O papel do ozônio medicinal

Reconhecida como terapia complementar pelo Conselho Federal de Medicina, a ozonioterapia tem demonstrada eficiência na promoção de qualidade de vida dos pacientes com câncer.

Alguns dos benefícios percebidos com a aplicação do ozônio medicinal dizem respeito à sua ação direta no metabolismo celular, além do papel intermediário na integração celular e da capacidade de desencadear reações neurofisiológicas com boa ação no enfrentamento do câncer.

Isso sem contar a melhora do sistema imunológico, fundamental no bom suporte à qualidade de vida da paciente. Em clínicas especializadas e certificadas, as portadoras de câncer de mama são corretamente avaliadas para a condução das aplicações adequadas de ozônio medicinal, seja local, intravenosa ou intramuscular, com ótimos resultados auxiliares às técnicas tradicionais.

Para saber mais sobre as vantagens da ozonioterapia, entre em contato com a Clínica Dr. Ozônio, um desses centros de referências no tratamento, pelo telefone (11) 4858-8000, ou o WhatsApp (11) 95726-6578. Continue acompanhando o blog da Saúde com Ozônio para ver mais conteúdos sobre promoção de saúde.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *