Telefone: (11) 2295-9931 | (11) 9 5726-6578 End: R. Gonçalves Crespo, 226 (Próx. Metrô Tatuapé) | End: R. Cerqueira Cesar, 466 (Próximo ao Hospital Next Santo Amaro)
Hepatite, Ozônioterapia

Tratamento para hepatite crônica grave com ozonioterapia

Como qualquer inflamação no fígado, a hepatite crônica é uma doença complicada. Exige acompanhamento constante e intervenções eficientes, como é o caso da ozonioterapia. A forma crônica da doença difere da aguda por causa do tempo de permanência no organismo, geralmente, maior do que seis meses.

A seguir, conheça o tratamento para hepatite crônica com ozonioterapia e saiba mais sobre essa doença.

A hepatite crônica e o tratamento com ozonioterapia

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil registrou mais de 40 mil novos casos de hepatites virais em 2017. Na maioria dos pacientes, pode ser curada entre seis meses e um ano, porém, outros não respondem bem aos tratamentos ou, simplesmente, abandonam os medicamentos por causa dos efeitos colaterais, como febre, insônia, irritabilidade e dores de cabeça. Nesses casos, ocorre a hepatite crônica, uma consequência direta da evolução de problemas no fígado.

Reconhecida pela eficiência contra mais de 200 patologias, a ozonioterapia também pode funcionar no tratamento da hepatite crônica. Parte de suas vantagens está na ausência de efeitos colaterais e na eficiência do ozônio, um gás natural capaz de evitar e combater os efeitos colaterais dos tratamentos medicamentosos.

Os benefícios da técnica são relatados por meio de diversos estudos, uma vez que a ozonioterapia encontra enorme adesão no mundo e seu campo de atuação não para de crescer!

No próximo item, conheça um estudo que relaciona a ozonioterapia ao tratamento para hepatite crônica e descubra quais são os mecanismos de ação do gás contra a doença.

Conheça os resultados do tratamento para hepatite com ozônio

Um estudo publicado por médicos chineses apontou como o tratamento para hepatite crônica com ozonioterapia é capaz de normalizar o fluxo sanguíneo dos rins, devolver a sua capacidade para desempenhar funções básicas e regular a atividade de seus principais hormônios e enzimas.

Método

Para a análise, 43 indivíduos com hepatite crônica foram submetidos ao tratamento com ozônio em conjunto com as técnicas normais de combate à doença, enquanto um grupo de controle de 42 pessoas foi mantido apenas com os medicamentos básicos.

Os pacientes tratados com ozonioterapia receberam auto-hemoterapia básica, em que uma amostra de 100 ml de sangue venoso é retirada de cada paciente, misturada a 100 ml de ozônio medicinal e reintroduzida na corrente sanguínea por via intravenosa.

Uma aplicação foi realizada a cada dois dias durante o período de 20 dias no grupo que recebeu ozônio. O grupo de controle foi mantido apenas com os tratamentos considerados comuns.

Resultados

Após 20 dias de tratamento, concluiu-se que as áreas de influência direta e indireta do problema foram reduzidas nos pacientes submetidos ao tratamento com ozônio. Além disso, o fluxo sanguíneo dos rins foi restabelecido e, consequentemente, a taxa de danos renais foi significativamente reduzida, assim como a de mortalidade!

É fato que as propriedades do gás ozônio podem trazer nova esperança aos pacientes que sofrem com hepatite crônica, mas é preciso priorizar profissionais com a devida experiência e qualificação na área.

Gostou de conhecer mais essa aplicação do ozônio medicinal? Então cadastre-se em nosso blog para saber ainda mais!

Acompanhe o conteúdo exclusivo da Saúde com Ozônio no Facebook e Instagram.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *